Elementos fundamentais para a perpetuação do sucesso

Motivação e educação

Bernardinho, um dos técnicos de voleibol mais renomados do mundo e bastante requisitado à dar palestras em empresas, grandes corporações, escolas etc, fala o seguinte:

“Na ótica do trabalho há dois vetores a serem analisados: o técnico (capacidade profissional) e o ético (integridade moral). Acredito que esses são os elementos fundamentais para a perpetuação do sucesso de qualquer pessoa em qualquer ambiente.”

Dia após dia vem caindo por terra o falso dilema de que para se dar bem na vida a pessoa tem que ser desonesta. Muitas empresas vêm sedimentando um trabalho bem feito tendo como bases os conhecimentos técnicos aliados a uma postura de princípios e valores em seus quadros de funcionários.

Essa postura tem sido o diferencial de grandes equipes esportivas a nível mundial, a exemplo do voleibol brasileiro, com pessoas de expressão e referência como o técnico Bernardinho, cujo conhecimento no trato nas relações humanas é solicitado por empresas dos mais variados setores e tamanhos, servindo como modelo de competência, seriedade e resultados.

Diante da globalização e da concorrência não basta mais a pessoa ter muito conhecimento técnico, ela precisa saber trabalhar em equipe, entregar-se como um elemento a somar e multiplicar, saber dedicar-se o máximo e, também, tem que estar bem consigo mesma, no melhor da sua forma física, emocional, mental e espiritual.

Advertisements

O espírito de grupo surge da união e aproveitamento de todas as forças

Como no Aikido não existe competição sendo o objetivo das técnicas treinadas durante as aulas a união da força do adversário à nossa, essa interatividade educa nossos sentimentos para a harmonia com nossos semelhantes. Isto é feito através de movimentos circulares, que possibilitam diferentes coisas girarem em torno de um mesmo centro, trazendo equilíbrio e paz.

mais-forte

Assim, quando numa reunião alguém coloca uma idéia, o pensamento do aikidoísta tenderá a aproveitá-la, e nunca desprezá-la. Esta virtude psicológica é construtiva e mais poderosa, uma vez que duas energias são mais fortes que uma, criando o sentimento de grupo e de amizade.

É muito interessante esse paralelo que Wagner Bull Sensei faz entre o Aikido e o mundo dos negócios. Nossa educação incute no jovem a necessidade de crescer superando os outros, e isso produz um desequilíbrio sem precedentes, uma vez que a vitória e a derrota são ilusórias e a verdade reside na auto-superação, tendo em vista patamares específicos de acordo com o momento e o contexto de cada um.

Sempre existirá alguém que irá nos superar em determinada atividade. Se nossa preocupação é tentar superá-lo e não conseguirmos, a frustração decorrente disso será grande.

Estar entre os bons e melhores, visando a excelência de nossos atos, é um diferencial enorme e denota competência, empenho, paciência e dedicação.

Essa é uma condição que, para uma empresa ou profissional, servem de referência aos que estão à frente e ajudam no desenvolvimento de suas áreas de atuação.

Ainda mais, fazendo com que outros participem, compartilhem, aprendam e sirvam de modelos na sociedade, é a maior vitória que se pode almejar, tanto a nível individual, quanto no coletivo.

É preciso que as pessoas conheçam a si mesmas e trabalhem honesta e incansavelmente para que as virtudes sejam potencializadas e utilizadas construtivamente.

Essa é a única forma para cada um viver com tranqüilidade e atingir a felicidade. É uma condição difícil, porém recompensadora no final.

Não podemos achar que não resolveremos o problema do país. Certamente que depende de nós. Isso que dizem que não temos essa capacidade é uma forma manipulação para que ninguém faça nada pelos demais e que justifique a própria impotência.

Estamos vendo o ruir de muitos castelos, construídos de forma indevida. Cabe-nos fazer alicerces sólidos onde desfrutaremos o nosso Lar Doce Lar, e produzirão uma sociedade nova e melhor.

Estilo de Vida em Alta

Um ponto extremamente útil para os nossos dias é o lembrete de Ernie Zelinsky (autor de ´O sucesso é mais simples do que você pensa´ – editora Sextante),quando diz: “Lembre-se de que o caminho para a infelicidade se caracteriza pelo esforço de obter algo desnecessário. Mas as coisas não precisam ser assim. Basta colocar o dinheiro e os bens materiais em seus devidos lugares. Eles não podem se tornar mais importantes do que o seu estilo de vida”.

Motivação-Crossfit-17

A grande quantidade de problemas físicos, psicológicos, crises de identidade, estafa, exaustão, inseguranças etc, se devem ao fato de que o mais importante tem sido relegado ao segundo plano, que é exatamente o nosso estilo de vida.

A carroça está sendo colocada na frente dos burros, uma vez que nossa qualidade de vida deveria ter, no mínimo, o mesmo grau de importância que os bens materiais que conquistamos com nosso trabalho.

Não podemos dar um passo se nosso estilo de vida não avançar junto. E uma coisa vital para que isso aconteça é nossa postura como conidores.

A indústria vem produzindo cada dia mais bens de cono criados, não para suprir nossas necessidades básicas, mas sim nossos caprichos de maior “status”, conforto e prazer, deixando de lado aquilo que seria realmente útil para aprimorar nossa qualidade de vida em quesitos como saúde e educação.

Esse grande aumento de produção é proporcional ao aumento da poluição e, conseqüentemente, diminuição da qualidade de vida populacional.

Já não é mais válida a desculpa de que o problema é do governo e das indústrias. Ele é de cada um de nós e depende de você também, pois a produção está ligada ao cono. Se você adotar um estilo de vida sadio, simples e natural, dispensando os supérfluos da modernidade, certamente estará contribuindo para a diminuição de muitos dos males que hoje afligem o meio ambiente, a convivência social e o bem estar de todos. Pense nisso!

Criando o Hábito da Excelência

Motivação-para-Emagrecer-Disney

Os autores do livro “Criando o Hábito da Excelência” mostram como é fundamental investir no ser humano, muito mais do que em tecnologia, pois nele está a solução para a grande maioria dos problemas:

Pesquisas do Instituto Nacional para a Segurança Ocupacional e a Saúde dos EUA mostram que 15% dos problemas relacionados à segurança podem ser diretamente atribuídos à parte tecnológica… Os outros 85% dos problemas estão relacionados com os padrões culturais, as relações de poder e ao processo decisório.

Análises feitas em empresas brasileiras também mostram a mesma tendência… o compromisso da administração… é o fator mais importante para se obter sucesso e, sobretudo, que os programas de excelência… dependem das… pessoas na organização (como o envolvimento do gerente, atitudes para com as pessoas no ambiente organizacional, qualidade do trabalho, interação etc.).

Já há algumas décadas a indústria mundial percebeu que seus padrões de gestão estavam ineficientes e nada se fez a respeito na grande maioria delas. Hoje pagamos um preço muito alto por essa falta de consciência impulsionada pelo afã de “evolução constante”.

Para evoluir de forma desordenada, ineficiente, contaminante, cega e irresponsável é melhor e, principalmente, mais sensato, produtivo, fácil e importante, melhorar a qualidade de nossas estruturas em cada um de seus aspectos, dando prioridade ao todo e não à individualidade fragmentadora e aparente.

Os autores claramente colocam a importância e o papel fundamental que tem cada um dos indivíduos que compõe o todo. E isso se dá tanto na indústria, como nas empresas, clubes, condomínios, famílias e todo tipo de comunidade.

No Ser Humano encontra-se a chave de todas as coisas, a solução de todos os problemas e a causa de tanta distorção, desequilíbrio e caos.

Ao invés de perder tempo com tanta distração e entretenimento de pouquíssimo valor, voltemos nossas energias para a construção de uma sociedade mais justa, bela e boa. Isso depende de nós e está ao alcance de nossas mãos. É muito mais simples do que parece.

Basta nos esforçar em sermos mais compreensivos e tranqüilos, mais atuantes e menos conformistas, mais respeitadores e menos egoístas. Não é difícil! Acredite nisso!

Estude Pouco!

motivação-no-trabalho

– Você está louco? – Já ouço você gritar – estudar pouco? Mas meu pai, minha mãe, meus professores dizem o tempo todo que devo estudar mais!

Exatamente! Esse é um dos motivos pelo qual o sistema educacional do Brasil é um dos piores do mundo!

Estudo não é questão de quantidade, mas sim de qualidade. Você não deve estudar mais, deve estudar melhor.

Quando? A resposta é “pouco…, mas todo dia”!

Ou seja, as aulas do dia devem ser estudadas no mesmo dia, antes que se passe uma noite de sono!

Durante anos vi alunos fracassarem em seus estudos (e em sua vida profissional) e vi alunos terem sucesso tanto durante sua faze de estudante quanto depois, no ambiente de trabalho.

Qual a diferença? Contrariamente ao que pensa a maioria das pessoas, os que têm sucesso não são, necessariamente, os mais inteligentes. Aliás, é bom adiantar que essa história de que existem pessoas com maior ou menor grau de inteligência é besteira!

O que há, na realidade, são pessoas que aprendem a usar seu cérebro, outras que o utilizam mal.

Existe o momento da aula…

… e o momento do exame:

O vencedor é o que estuda imediatamente depois da aula:

Ou seja, estuda pouco, pois é apenas o conteúdo de uma manhã (ou uma tarde) de aula que o cérebro dele deve absorver.

A mesma perspectiva que o prof. Pierluiggi Piazzi, descreve em seu livro, pode servir para fazermos um paralelo com o núcleo empresaria e o familiar, onde as pessoas possuem uma comunicação superficial e não tem mais o convívio e interação diária, fundamental para o entendimento e compreensão das posturas e atitudes de cada um.

Passa-se o tempo e só irão perceber essa ausência quando algum problema sério tenha “estourado”.

Esse tipo de situação também ocorre com os vizinhos, no clube, no descanso do corpo e alimentação, ou seja, só detectamos o problema quando uma situação grave aparece, uma vez que não fazemos uma avaliação diária de nossas necessidades.

Por isso é muito importante aproveitarmos bem nosso tempo. Ao invés de ficarmos nos distraindo com entretenimentos que não nos acrescentam nada e que, pelo contrário, “roubam” o tempo que nos seria precioso para outras coisas, seria muito importante parar para refletir sobre tudo que está à nossa volta e avaliarmos o que é mais importante e priorizarmos cada atividade para começarmos a viver, ao invés de sobreviver com baixos níveis de qualidade no convívio com os demais e conosco mesmos.

Dada à realidade em que se encontra nossa sociedade e nosso planeta, estamos muito aquém do nosso potencial como seres humanos. Coloquemos nossa inteligência para funcionar um pouco mais, para encontrar fórmulas melhores de convívio e cuidados para com tudo e todos que estão à nossa volta. Como no caso do estudo, não é uma questão de fazer mais, devemos fazer melhor!

Life Coaching e a Ansiedade

A ansiedade tem sido um dos elementos que mais tem estado em moda nos últimos anos. Ela atinge pessoas de todas as idades, faixas etárias, posições sociais e sexos, sendo também responsável pela qualidade de vida de cada um de nós, servindo como termômetro para indicar mais qualidade, ou menos.

Não existe área profissional em que a ansiedade não esteja inserida, desde as mais caóticas, até as mais prósperas e são poucos os que sabem lidar conscientemente com ela a ponto de tê-la como uma aliada, utilizando-a a seu favor.

Um Coach de Vida, ou originalmente um Life Coaching pode ajudar a trabalhar a ansiedade de forma que seja possível canaliza-la e potencializa-la para realizar grandes trabalhos. Entenda como: https://www.liderancaecia.com.br/os-10-diferentes-tipos-de-coaching/

97f886ee5210e47116548d2265a98875

O que mais vemos a nível pessoal, são as mais variadas insatisfações, pois o desejo de querer que os momentos de lazer e entretenimento venham logo é tão grande quanto o mau aproveitamento deles. Quando estamos trabalhando, pensamos no que faremos quando chegar o final de semana, o que muitas vezes acaba comprometendo a qualidade de nosso trabalho, uma vez que nosso pensamento não está todo ele voltado para aquilo que estamos fazendo. E não há nada pior do que fazer uma coisa pensando em outra. Aparentemente pode parecer que nossa ação não perde qualidade, no entanto, esse “escape” mental movido pela ansiedade é um péssimo hábito que vai tirar justamente a folga, o relaxamento que nossa mente precisa para se dedicar a essa ação com tranquilidade.

Se fazemos uma atividade pensando em outra, estamos não só perdendo qualidade prática, como também sobrecarregamo-nos com elementos inapropriados. Essa sobrecarga é a que irá gerar um lastro, um peso que nos deixará esgotados no final do dia, da semana, mês ou ano. É como o pequeno vazamento, a infiltração ou a ferrugem que gradativamente vai proliferando, causando um problema maior lá na frente.

Um músico que está tocando seu instrumento, se aperfeiçoando e tentando dar o melhor de si naquele momento, perderá eficiência se nessa hora ele estiver pensando em outras coisas. Muitas vezes ele vai errar o tempo da nota, a intensidade que deve ser dada a cada uma delas, a leveza ou vitalidade no desenvolvimento da música, enfim, se ele toca sem pretensão de proporcionar uma boa melodia é uma coisa, agora, se ele busca a melhora constante, é preciso que o sentimento, o pensamento e a ação estejam em uníssono.

Fazendo um paralelo com a vida profissional, se estamos divididos e o resultado da nossa ação realmente não está sendo comprometido, a perda com essa divisão estará em algum lugar onde os olhos não conseguem notar. A maioria das vezes ela está roubando nossa satisfação de viver o momento presente, sentindo que estamos saudáveis, que estamos bem dispostos, que somos úteis e que atingimos o que almejávamos há um tempo, uma vez que hoje somos o resultado daquilo que pretendíamos atingir no passado.

O acumulo da falta de satisfação e tranquilidade nas ações do dia-a-dia levam as pessoas aos mais variados problemas físicos, vitais, emocionais, mentais e espirituais. Nesse sentido, é fundamental combater essa divisibilidade, esse péssimo hábito de fazer uma coisa pensando em outra, sem sentir o que está se fazendo. Para isso recorreremos ao conceito de indivíduo, etimologicamente, aquele que não se divide.

O indivíduo é aquele homem ou mulher que atinge um grau de unidade de pensamento, sentimento e ação, dando o melhor de si naquilo pelo qual é responsável, sem se deixar distrair, nem ser levado por interesses quer sejam de entretenimento, bem como econômicos, partidários, egoístas, enfim, ele busca a satisfação em fazer bem o seu papel, tendo a certeza que o fruto dessa ação correta será experimentado num determinado momento, independentemente de quando ou como seja.

É a mesma coisa que acontece com milhões de pessoas quando estão se alimentando. Ao invés de sentir o que estão comendo, pensando em encontrar e decifrar sabores, em perceber se estão saciados ou não, em mastigar bem e digerir de forma correta os alimentos, essas pessoas possuem atitudes as mais bizarras nesses momentos. Conversam enquanto comem, pensam no que aconteceu de errado, no que farão depois do almoço, pensam em como resolverão um problema, que resposta darão a um fornecedor, ao colaborador ou ao superior., assistem televisão, ouvem rádio, olham para todos os lados, esquecendo de comungar com o alimento.

Para mudar gradativamente o hábito da ansiedade é preciso muita reflexão com o que faremos a cada momento. Da mesma forma que um técnico orienta um plano tático para sua equipe., que um arquiteto desenha uma maquete idealizando uma obra., que um cozinheiro separa os produtos que farão parte do preparo de um determinado alimento, com muita atenção, bom senso e tranquilidade, da mesma forma é preciso delinear nossas ações, fazendo um planejamento com muita atenção, prevendo quando e quais serão os resultados delas, sabendo que há sempre uma margem para ajustes durante o processo e que o tempo estimado poderá sofrer vários reajustes em função de coisas inesperadas que venham a ocorrer.

Temos que ser realistas para controlar a ansiedade, é preciso ter os pés bem firmes no chão, embora a cabeça esteja no céu. Saber esperar e dar tempo ao tempo é um hábito que deve ser exercitado no quotidiano e isso pode ser desenvolvido com as situações as mais simples e variadas, como fazer um lanchinho tranquilamente, organizar nossos pertences com esmero, se dirigir a determinados lugares com antecedência, para evitar a presa e, também, dar vazão a essa energia de ansiedade para iniciar tarefas que não gostamos muito, utilizá-la como força motora para iniciar, dar continuidade ou concluir determinado projeto, mas tendo o cuidado de não pisar muito forte no acelerador, uma vez que a ansiedade tem que ser bem controlada para impulsionar-nos gradativamente em determinados momentos.

Dessa forma vamos aproveitando a nossa vida para conhecer um pouco mais de seus enigmas, entendendo seu funcionamento, suas leis, ciclos e ritmos, fazendo com que desfrutemos cada dia mais, incorporando bons hábitos e melhorando nosso estilo de vida.

Progredindo passo a passo ao sucesso

Muitas pessoas estão aprendendo coisas novas a todo o momento, pois existe nelas o sentimento e a necessidade de tornar-se melhor a cada dia, tanto nas habilidades que lhes são próprias, quanto em novas atividades, a fim de desenvolver todo o seu potencial, fazendo com que a pesquisa e as experiências, ou seja, a busca de formas novas, colocando-as em prática, errando e acertando, façam parte do cotidiano.

Essa vontade de aprender é um querer próprio do ser humano. A maior vitalidade da pessoa se expressa quando ela está aprendendo e desenvolvendo-se nesse sentido, e não, como muitas pessoas acreditam, que essa energia vem do fato de estarem bem alimentadas. O aprendizado constante é o estímulo e a chave. Quando essa condição é perdida nos deparamos com um momento de declínio e perda de energia, uma vez que esta fica reduzida a quantia apenas de manutenção das tarefas, ao invés de ganhar as forças da criatividade, imaginação, entusiasmo etc.

sucesso-passo-a-passo

Considerando as leis que regem todo o universo, inclusive a nós que dele participamos, tal qual o dia e a noite, viveremos momentos de luz e de escuridão. Nos momentos de luz, nossas atividades estarão vivendo suas fases do `dia´, com o aparecimento de coisas novas que representarão essa luminosidade, a força que torna tudo aparente e que estimula diretamente nossas faculdades mentais de imaginação e criatividade. Desse modo, teremos fases de mais ou de menos rendimento, de mais ou menos pesquisa, e assim as energias de expansão e retração passam a agir e a influenciar tudo. Assim, a nossa condição deve ser a de indivíduos conscientes dos processos nos quais estamos inseridos e da direção dos objetivos e metas almejados.

A intenção que nos remete aos nossos anseios estará sujeita aos ciclos, mas temos que ter clara a sua finalidade para não deixar que seja levada pelos momentos de baixa, nos quais perderá força, ou quando ela `entrar´ na escuridão da noite ou for `adormecida´ pelo frio do inverno. Fazendo um paralelo com uma embarcação à vela, esta tem seu destino, seu porto definido e uma rota a seguir para alcançá-lo. Nosso barco será arremetido por ventos de diversas direções e velocidades, ou pela falta deles. As tempestades virão provar a resistência do material em que ela foi feita e o brio do capitão que a conduz. Este, por sua vez, precisará de atenção e de tranqüilidade em todas as horas, para perceber quando estiver soprando o vento que o levará em direção ao porto, perceber o `vento oportuno´, fazendo-se usufruir da oportunidade que o conduzirá ao tão almejado destino.

Os primeiros passos no caminho do êxito, aquele no qual nossos objetivos de vida serão alcançados de forma equilibrada, sem que uma área se sobressaia em detrimento das outras, devem ser dados gradualmente. Exemplificando, se pegamos a cor verde e queremos transformá-la em azul, ou se estamos numa determinada condição e queremos transformá-la em outra, não devemos fazê-lo de forma brusca, ou seja, tirar o verde e colocar o azul e pronto.

Toda mudança deve ser feita por escalas. Assim é com a Mãe Natureza, que vai mudando a cor dos frutos, saindo de um tom verde para a coloração própria do fruto maduro, o que nos permite colhê-los para nossa alimentação através do reconhecimento dessa coloração. Temos também o exemplo do amanhecer onde a claridade inicia-se a partir do momento de maior escuridão e aos poucos vai ganhando as nuances da manhã. Assim também é para conosco. Dessa forma, o verde começa a assimilar tons de azul e tornar-se um verde azulado. À medida que essa assimilação vai se intensificando a cor passa a ser um azul esverdeado, para posteriormente a antiga cor – nossa antiga condição – perder intensidade, desassimilando a textura esverdeada e ir ganhando intensidade da coloração azul, a que acabará por primar.

Façamos como Leonardo Da Vinci em sua enigmática técnica de pintura conhecida como `sfumato´, onde finas camadas de tinta eram sobrepostas com muita sabedoria, proporcionando as diferentes formas em suas obras. Desse mesmo modo, devemos produzir suaves pinceladas em cada uma de nossas atividades, para que a obra seja trabalhada em conjunto, para que nosso bem-estar seja alcançado, indo além de apenas nos destacarmos em uma ou em outra atividade.

É notório que quando dirigimos um carro, não temos que nos preocupar somente com o que está à nossa frente. É preciso ver o que está ao nosso lado, o que vem atrás, a velocidade e a marcha que estamos, o limite de velocidade da via, quanto combustível temos, a luminosidade externa etc. Dessa forma, temos que equilibrar todos os aspectos das nossas vidas, fazer com que tudo esteja sob controle e direcionado para o porto por nós pré-determinado, evitando dissabores e problemas inesperados por falta de visão da globalidade.

Se as cores das diversas áreas não estão nos tons que gostaríamos ou não estão muito firmes, devemos mudá-las gradativamente, de grau em grau. Assim, após o degrade, chegaremos à cor desejada desde o começo desse importante processo.